Startup polonesa com 3 milhões de usuários no Brasil ganha US$ 9 mi

nov 5, 2014 by     No Comments    Posted under: Marketing Digital, Notícias, Redes Sociais

Lançada no Brasil há menos de dois anos a rede social educativa Brainly já tem mais de três milhões de visitantes brasileiros por dia. São estudantes dispostos a estudar juntos e que fazem perguntas sobre todas as matérias. Segundo os administradores, 80% das dúvidas dos estudantes são respondidas em 10 minutos por professores voluntários. Ainda de acordo com os administradores do Brainly brasileiro, o engajamento é alto a ponto de um professor já voluntariamente respondido a 17 mil perguntas de estudantes. O serviço é gratuito: o estudante se cadastra no site brainly.com.br e passa a se relacionar com outros de diferentes áreas.

Mas o Brainly não é uma criação brasileira: seus criadores são da Polônia, onde o site foi lançado em 2009, espalhando-se rapidamente por 35 países da Europa. O sucesso levou a plataforma a conseguir um aporte de US$ 9 milhões do grupo americano de venture capital General Catalyst.

brainlivale

O Brainly tem alunos do ensino fundamental, médio e superior. A plataforma é disponível em 12 línguas, atrai 30 milhões de usuários por mês de diferentes países que fazem mais de 8 mil perguntas por hora enquanto 450 moderadores voluntários asseguram a qualidade do processo de aprendizagem dos alunos, explicam os criadores.

Para os criadores do Brainly, o investimento foi considerado uma grande conquista uma vez que a General Catalyst, de modo geral, investe apenas em startups americanas. O grupo já apoiou o Snapchat,  mensageiro semelhante ao WhatsApp, mas que envia imagens pelo bate-papo que só duram alguns segundos, sendo destruídas em seguida; o Airbnb,  planejador de viagens com dicas de mais de 450 mil acomodações em mais de 34 mil cidades; e o Kayak, que compare centenas de sites de viagem ao mesmo tempo em busca de promoções.

Com o investimento, a startup vai abrir um escritório em Nova York e o objetivo é pouco modesto: ser a número um na área de social learning.

“Todo aluno no mundo inteiro mais cedo ou mais tarde trava numa pergunta do dever de casa, o que cria frustração e falta de confiança. A nossa visão é ajudar os alunos e transformar o dever de casa em uma oportunidade para inspirar aprendizagem e colaboração. Com este financiamento vamos poder acelerar nossa visão e reinventar a nova geração do nosso produto. O dinheiro vai facilitar o lançamento de novas versões e a expansão para o resto do mundo”, afirma Michal Borkowski, CEO do grupo Brainly.

Fonte: g1.com.br

Deixe uma resposta

Newsletter

E-mail:

Inscrever
Desinscrever

Publicidade