CNA vai financiar franqueados para expandir sua rede

mar 25, 2013 by     No Comments    Posted under: Notícias

A rede de escolas de idiomas CNA vai subsidiar franqueados com operações há mais de um ano e interessados em abrir novas unidades. Um grupo de 163 parceiros terá disponível uma linha de crédito concedida pelo Bradesco de até R$ 200 mil que poderá ser paga sem juros durante dois anos, além de seis meses de carência. Os juros do financiamento serão subsidiados pelo CNA que desembolsará para esta iniciativa R$ 5 milhões.

O valor do empréstimo deve ser equivalente a até 50% dos recursos necessários para a montagem de uma escola. A maioria das unidades CNA demanda um investimento de R$ 300 mil. Portanto, a maioria dos financiamentos será de R$ 150 mil. O franqueado terá ainda acesso a uma segunda linha de crédito, também no Bradesco, para financiamento da outra metade dos recursos necessários para abertura da escola, mas nesse caso serão cobrados juros de cerca de 1,5% ao mês. No mercado, uma linha de crédito semelhante teria juros de aproximadamente 3%.

A expectativa da empresa é abrir entre 100 e 150 unidades por meio da iniciativa até novembro. Outras 50 franquias também serão inauguradas até o fim do ano, mas elas serão oferecidas em condições normais do mercado.

A linha de crédito destina-se apenas aos melhores franqueados do CNA, definidos após uma criteriosa seleção. “Criamos uma linha de crédito diferenciada para os nossos melhores franqueados porque sabemos que eles já têm experiência e com isso há um forte potencial para que operem bem a outra unidade”, disse Décio Casarejos Pecin, presidente do CNA.

Das novas escolas a serem abertas com a linha de crédito, 45% serão em São Paulo, 15% no Rio de Janeiro e 40% em outras regiões do país. Com essas inaugurações, a receita do franqueador deve ter um acréscimo de R$ 20 milhões. Em 2014, quando as novas unidades estiverem em plena operação, o CNA espera atingir uma receita de R$ 1 GO milhões, valor que engloba as novas franquias e o crescimento orgânico das atuais unidades. Neste ano, a expectativa é fechar com faturamento de R$ 120 milhões. A receita do franqueador é proveniente da venda de livros de inglês ou espanhol para as franquias.

Já a rede como um todo, que hoje conta com 530 unidades, deve encerrar este ano com faturamento R$ 775 milhões e a estimativa é que esse montante salte para R$ 925 milhões em 2014. No caso das franquias, a receita é a soma das mensalidades pagas pelos alunos.

A estratégia de “financiar” uma parte de sua própria expansão também está relacionada às dificuldades de encontrar um ativo interessante para crescer por meio de aquisições. “Ainda não encontramos ativos que não tenham problemas de sobreposição de escolas e com uma cultura parecida com a nossa”, disse Pecin.

Fundado em 1974 e com meio milhão de estudantes, o CNA atingiu ta número exclusivamente por meio de crescimento orgânico, sem nenhuma aquisição. Mas, nunca faltaram interessados batendo a sua porta. Concorrentes como Grupo Multi (dono da Wizard) e Abril Educação (que controla Wise Up e Red Balloon) e fundos de investimentos tentaram comprar o CNA, segundo fontes do setor. A primeira negociação que chegou a um acordo ocorreu em setembro, quando o CNA vendeu urna participação minoritária por R$ 135 milhões para a gestora inglesa Actis.

Com a entrada da Actis, a rede de idiomas montou um plano de expansão que prevê chegar a um faturamento de R$ 1,5 bilhão nos próximos três anos.

Fonte  Valor Econômico
Data de Edição  25/03/2013

Deixe uma resposta

Newsletter

E-mail:

Inscrever
Desinscrever

Publicidade