Lotação na Faap

set 12, 2011 by     No Comments    Posted under: Notícias

Alunos reclamam de medida que aumentou número de alunos por sala; instituição alega razões didáticas

 

Alunos entram na sala em corre-corre. Há só 50 cadeiras, para 56 estudantes e mais o repórter da sãopaulo se acomodarem. Quem senta primeiro fica com o lugar, e a aula é suspensa enquanto assistentes não trazem mais assentos. Antes disso, dois garotos desistem de esperar. “E uma palhaçada”, brada um ao sair.

 

A dança das cadeiras aconteceu na última semana na Faap, instituição de ensino em Higienópolis que cobra, em média, R$ 2.500 por mensalidade de suas graduações.

 

É que as sete faculdades da Fundação Armando Álvares Penteado adotaram neste semestre um método em que alunos de cursos diferentes fazem juntos “disciplinas de cunho geral”, como sociologia, ética e informática. Com isso, o número de matriculados em algumas matérias subiu – em certos casos, mais do que dobrou -,  o que gerou uma reação de estudantes.

 

Mais de 400 usuários do Facebook integram o grupo “Contra o Novo Horário da Faap”.  Minha sala tinha umas 20 pessoas, Agora, já peguei aula com 57 alunos. É horrível, ninguém presta atenção, diz Luiza Barella, aluna de administração.

 

Mas a lotação não é regra. Das cerca de 12 salas no prédio do curso de administração, apenas uma não tinha lugar suficiente para todos nas duas visitas feitas pelo repórter, identificado como aluno, nos últimos dez dias.

 

A instituição confirma o aumento de estudantes em algumas turmas e afirma que as mudanças vêm para aproximar seu currículo de instituição como Harvard (EUA), aumentando a interação entre alunos de diferentes cursos. “O ensino de princípios e conceitos nas disciplinas de cunho geral foi intensificado”, afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa.

 

Há alunos que se queixam desse generalismo – dizendo, por exemplo, que se antes o professor de direito ensinava alunos de cinema a captar recursos pela Lei Rouanet, agora o conteúdo tem que ser adaptado a outros cursos. Ao que a Faap diz, em nota: “As disciplinas participantes dessa reestruturação são as que não possuem conteúdo específico para um curso”.

 

Diálogo

Há duas semanas, os estudantes que mais participavam do protesto na internet foram convidados a se reunir com um dos diretores da fundação, Américo Fialdini Jr.

“Ele explicou os motivos da mudança”, diz Fernanda Guimarães, aluna de cinema. E completa: “Mas não disse por que as mensalidades aumentaram em vez de diminuir, já que há mais alunos por sala e isso exige menos horas-aula dos professores.

 

 

Fonte: Revista da Folha de São Paulo

Chico Felitti

28/08/2011

 

 

Deixe uma resposta

Newsletter

E-mail:

Inscrever
Desinscrever

Publicidade