Zappiens o YouTube acadêmico

jul 25, 2011 by     No Comments    Posted under: Destaque, Notícias

Ainda incipiente, portal educativo abre horizontes promissores na tentativa de reunir e divulgar conteúdos em vídeo das principais universidades e acervos do País

 

 

Graça à abrangência sem fronteiras, a internet se transformou em uma ferramenta eficaz na disseminação de conhecimento. Contudo, diante das possibilidades oferecidas pela rede, é possível dizer que esse viés ainda é pouco valorizado pelas instituições de educação. Seja por receio, questões jurídicas ou falta de interesse,universidades e grandes escolas ainda resistem à idéia de terem seus acervos online. No Brasil, particularmente, essa realidade é ainda mais dura. Mas pelo menos no que se refere aos conteúdos em linguagem audiovisual, esse tabu deve cair por terra.

 

zappiens youtube acadêmico

 

 

Tudo porque está no ar desde fevereiro de 2010 o portal Zappiens, destinado a reunir em um único local as produções em vídeo das principais instituições de ensino no País. Criado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI) e pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC BR), o Zappiens Brasil conta hoje com mais de 9 mil vídeos. Esse número inclui produções de entidades com Arquivo Nacional, Rede Nacional de Ensino e Pesqui (RNP), Universidade de São Paulo, entre outras, além daquelas hospedadas no Zappiens Portugal, que sérvio de modelo para a iniciativa e hoje é parceiro do portal brasileiro.

 

 

Para viabilizar o acervo online, o NIC BR implementou, além da opção de upload dos vídeos, protocolos que permitem agregar material de outras plataformas por meio de sitemaps de vídeo o OHML. Ou seja, materiais que estão no YouTube, por exemplo, podem ser redirecionados diretamente para a página das instituições no Zappiens. Tal qual no maior portal de vídeos do planeta, todos os arquivos estão disponíveis em formato streaming e seus conteúdos são os mais variados possíveis. O Arquivo Nacional, por exemplo, colocou no sistema cinejornais e discursos presidenciais das décadas de 1970 e 1980. Já a USP, por meio do IPTV, sua divisão de conteúdo videográfico para internet, oferece desde documentários sobre esporte até aulas de físicas, passando por telejornais institucionais, entre outros.

 

 

A regulamentação

A diversidade de conteúdos é um ponto positivo para o Zappiens mas a falta de regulamentação sobre o que é postado ainda é um problema. A própria USP colocou no portal materiais factuais do Jornal Nacional, por exemplo. Questionada, a instituição revelou que se trata de um projeto de análise de mídia, mas em nenhum momento este contexto está explícito no conteúdo veiculado.

De acordo com Antonio Moreiras, supervisor de projetos do NIC BR, o modelo tem mesmo que seguir uma linha mais aberta. “Na há intenção de moderar o conteúdo de nenhuma forma. Estamos satisfeitos com a diversidade de vídeos”, afirma.

De mesma maneira que os conteúdo ainda não estão afinados completamente com a proposta a catalogação e a classificação também não vêm sendo feitas da maneira mais adequada, uma falha que Moreiras admite e promete melhorar: “ Sabemos que esse é um dos problemas do Zappiens neste momento, mas a verdade é que não temos um padrão universalmente aceito. Como abrigamos vídeos de diversas universidades teremos que desenvolver um projeto para gerar um padrão aceito por todas eles” diz.

 

 

Parcerias

Mesmo com essas falhas a serem corrigidas, comuns em um projeto ainda em fase experimental. Moreiras afirma que, neste momento, o foco do Zappiens é angariar universidades parceiras a fim de aumentar a quantidade de vídeos disponíveis e visualizações do site. Melhorias na parte de infraestrutura também estão  nos planos, como suporte a IPv6, aprimoramento na adoção do HTML 5 e liberação do software como plataforma livre.

No fim das contas, entre pontos positivos, negativos, planos e realidades, o fato é que o Zappiens Brasil, apesar de estar online há mais de um ano, ainda não decolou.

A iniciativa, porém é louvável e enriquecedora, tanto para as instituições envolvidas quanto para os interessados em aprimorar a troca de informações e obter conhecimentos até pouco tempo só disponíveis em espaços físicos.

 

Fonte: Gabriel Dudziak

Revista Locaweb –Edição 28

 

Got anything to say? Go ahead and leave a comment!

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Newsletter

E-mail:

Inscrever
Desinscrever

Publicidade