UNG atende obesos em Guarulhos

jul 6, 2011 by     No Comments    Posted under: Ações

Tudo começa com investidas para mudar o pensamento do paciente. “É preciso que ele tenha um pensamento magro, saudável“, explica o psicólogo José Cândido Cheque. Posteriormente, são desenvolvidas ações nas áreas de Nutrição, Educação Física, Fisioterapia e Enfermagem de maneira articulada, visando reeducar a alimentação e estimular o desenvolvimento de atividades físicas sem lesões. “Seguimos um modelo cognitivo-comportamental. Nosso trabalho visa orientar para uma mudança de comportamento. Isso ajuda a ter melhores respostas quanto à introdução de novos hábitos alimentares”, acrescenta Cheque, que coordena o Goam (Grupo Obesidade Atendimento Multidisciplinar) e o Goami, versão infantil do primeiro.

Desenvolvidas pela Universidade Guarulhos (UnG), as iniciativas querem abrir as portas para mais pacientes. Isso porque a questão obesidade vem se manifestando de forma latente nos últimos anos no País. “Precisamos evidenciar ao maior número possível de pessoas que a escolha do alimento e todo o processo que envolve o ato de comer são decisivos para uma vida saudável ou não”, diz o psicólogo.

Para atingir essa meta, os programas estão com inscrições abertas para novas turmas, cujos encontros iniciarão no 2.º semestre de 2011.

Os interessados em se inscrever ou fazer o mesmo pelo filho podem ligar para 0800 15 88 22; ou enviar e-mail com nome completo, telefone de contato, peso e altura para o endereço paddac@ung.br. O único pré-requisito é estar acima do peso. O prazo encerra-se em 08 de julho.

O Goami é voltado a crianças entre 07 e 10 anos de idade. Os encontros acontecem apenas da Unidade Guarulhos-Centro da UnG. Já o Goam tem inscrições abertas para atividades em Guarulhos, Itaquá e Arujá.

Segundo Cândido, os participantes recebem acompanhamento gratuito durante três meses. Nesse período, são orientados a escolher melhor os alimentos, aprendem técnicas de exercícios físicos e descobrem se o aumento de peso está atrelado a algum problema de origem psicológica. “Para quem não emagrecer ou se sentir inseguro tem a opção de seguir o tratamento no grupo de manutenção, também gratuito”, finaliza.

Fonte: ung.br

Deixe uma resposta

Newsletter

E-mail:

Inscrever
Desinscrever

Publicidade