PUC-Rio entre as mais sustentáveis

mai 10, 2011 by     No Comments    Posted under: Ações, Notícias

Excelência acadêmica e sustentabilidade se afinam na PUC-Rio. A Universidade ficou em 55º lugar em um ranking que avaliou a postura de instituições de ensino superior do mundo inteiro diante de causas ambientais. Realizado pela Universidade da Indonésia, o UI Green Metric World University Ranking 2010 analisou dados enviados por 95 universidades – entre elas, grandes centros como Harvard e Chicago.

Além da PUC-Rio – única representante do Rio de Janeiro –, apenas duas outras brasileiras participaram: a Universidade de São Paulo (USP), 25ª colocada, e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) – 63ª. O resultado demonstra que a Agenda Ambiental da PUC-Rio está no caminho certo. É o que afirma o Reitor, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J.. Segundo ele, pensar em sustentabilidade é um dever da universidade moderna.

– Ficamos entre as grandes. A Agenda Ambiental é uma realidade que temos de levar adiante – afirma. – Só se pode pensar em universidade sustentável se existe maturidade institucional. Isso só acontece quando se consegue integrar três perspectivas importantes: ensino, pesquisa e extensão. A PUC vive hoje, aos 70 anos, a sua maturidade – complementa o Reitor.

A coordenação do ranking enviou convites para 1.250 instituições do mundo, no ano passado. As que quiseram participar tiveram de preencher um formulário de autoavaliação, balizado em três conceitos básicos: ambiente, economia e capital. Foram avaliados, por exemplo, o tamanho da universidade e a possível redução de espaço verde no campus. Checou-se, também, o consumo de eletricidade, o uso da água e meios de transporte usados para chegar ao centro acadêmico.

O resultado completo foi disponibilizado em novembro. E as informações, colhidas entre maio e julho. À época, uma série de projetos pilotos ainda estavam em fase de implementação no campus da PUC, lembra o diretor do Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente (Nima), Luiz Felipe Guanaes. Eles começaram a ser concretizados este ano. Ao final de 2011, por exemplo, 90% dos setores da Universidade terão trocado os copos de plástico pelos de papel, que são biodegradáveis. Outra medida será o acompanhamento da construção da enfermaria do Centro de Ciências Biológicas. Serão monitorados os materiais comprados e, até mesmo, a localização – de modo a facilitar a entrada de ar. Segundo Guanaes, a reciclagem de lixo continuará sendo incentivada. Além disso, será realizada campanha para diminuir a entrega de monografias em papel. “Veremos se, pelo menos, é possível imprimir em frente e verso”, diz.

Com a concretização de projetos da Agenda Ambiental, o diretor do Nima considera ser possível que a PUC esteja, daqui a dois anos, entre as 10 primeiras colocadas no ranking. Para isso, o Núcleo conta com o apoio de 25 voluntários – número que chega a 100 no período da Semana de Meio Ambiente. Mas todos podem ajudar, ressalta Guanaes:

– O aluno é absolutamente fundamental nessa meta de nos tornarmos sustentáveis. Aliás, estar em uma Universidade com essa preocupação representa um grande ganho na formação do profissional – observa.

Campanha da Fraternidade
Não são apenas as universidades que passaram a pensar em sustentabilidade. O assunto também ganhou o apoio da Igreja Católica, através da Campanha da Fraternidade deste ano. O tema é “Fraternidade e a Vida no Planeta”, com o lema “A Criação Geme Como em Dores de Parto”. O Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, ressalta que a Igreja, como formadora de valores, deve ajudar a sociedade:

– A Igreja tem uma dimensão profética. E todo profeta tem que denunciar e anunciar. Ela está anunciando que realmente estamos perdendo nossa relação com o Criador, com as criaturas. E, por outro lado, temos que buscar ações para ajudar nessa missão, que não é local ou regional. É planetária – observa Josafá, autor de obras como Ética socioambiental e Um Olhar Sobre a Natureza – Ecologia e Meditação.

O Reitor explica, ainda, que a Campanha é realizada em três vertentes: ver, julgar e agir.

– O ver significa enxergar a realidade, o que as instituições, a comunidade, o mundo inteiro diz. Julgar significa observar se estamos agindo eticamente, de forma religiosamente correta. Por fim, temos que pensar nas ações que faremos, em cada comunidade, em cada paróquia, em cada instituição de ensino, para ajudar no processo das mudanças climáticas – conclui Josafá.

Economia e ambiente
No último dia 15, o Centro Loyola de Fé e Cultura da PUC-Rio realizou uma palestra com o reitor para debater o tema da Campanha. Além dele, a gerente setorial de Programas Ambientais da Petrobrás, Rosane Aguiar, falou sobre a posição da empresa diante das questões climáticas. Ela ressaltou que o sucesso de qualquer companhia  precisa equilibrar o desempenho econômico e a responsabilidade ambiental. Padre Josafá lembrou que a Campanha da Fraternidade de 1979, com o tema “Preserve o bem de todos”, já falava sobre o meio ambiente e que o homem precisa balancear o consumo com a limitação dos recursos naturais.

Fonte: puc-rio.br
Por: Rodrigo Cabral

Got anything to say? Go ahead and leave a comment!

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Newsletter

E-mail:

Inscrever
Desinscrever

Publicidade