MBAs buscam certificação estrangeira

abr 19, 2011 by     No Comments    Posted under: Notícias

Em busca de projeção dentro e fora do Brasil, cada vez mais as instituições de ensino superior têm perseguido acreditações internacionais para seus programas de pós-graduação – especialmente para os Master of Business Administration (MBA) -, como uma espécie de selo de qualidade do ensino que oferecem.

As acreditações funcionam como uma certificação estrangeira para o MBA e é uma espécie de título de excelência para a faculdade, que a equipara às melhores instituições internacionais.

O Insper (ex-Ibmec-SP) recebeu, no fim do ano passado, a acreditação da Association to Advance Collegiate Schools of Business (AACSB), que é a mais antiga associação de escolas de negócios do mundo. Também possuem o título a Harvard Business School, Massachusetts Institute of Technology (MIT) e a Universidade de Chicago, por exemplo. Hoje, menos de 5% das escolas de negócios do mundo possuem a certificação da AACSB – na América Latina são 13, contando o Insper.

“Isso significa que obedecemos aos mais rígidos padrões de qualidade internacional”, afirma o diretor do Insper, Claudio Haddad. “Agora fazemos parte de um clube bastante seleto.”

Obter a acreditação é diferente de ser apenas credenciado por alguma associação estrangeira. Ser uma instituição acreditada significa que a faculdade passou por um longo e custoso processo para conseguir o título – uma espécie de auditoria, com visitas e inspeções da organização, que analisa cada detalhe para verificar se os critérios são atendidos.

Algumas associações fazem exigências, por exemplo, quanto à média de idade e de experiência profissional dos matriculados no MBA, além de avaliarem minuciosamente a infraestrutura dos institutos. O processo pode durar anos e custa de dezenas a centenas de milhares de dólares – dependendo da instituição e do tipo de acreditação. Além disso, a validade do selo expira e a faculdade deve renová-lo.

No Brasil, a campeão de acreditações internacionais é a Escola de Administração de Empresas de São Paulo (Eaesp) da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), atualmente com três das principais: AACSB, Association of MBAs (AMBA) e Equis (EFMD) (mais informações abaixo).

Mas, para Adrian Kemmer Cernev, coordenador de avaliação institucional da Eaesp da FGV, o Brasil ainda não tem uma cultura de acreditação internacional de seus MBAs. “O mercado brasileiro conhece pouco esses selos. Mesmo na América Latina, apenas seis escolas de negócios têm as três que nós temos ao mesmo tempo”, explica ele. “Estamos contribuindo para colocar o Brasil no cenário internacional.”

O Ministério da Educação (MEC) não é responsável por regular as acreditações estrangeiras. No entanto, a pasta estabelece normas para o funcionamento de cursos de pós-graduação lato sensu, em nível de especialização – como é o caso dos MBAs. Uma resolução do Conselho Nacional de Educação afirma que esses cursos, quando oferecidos por instituições credenciadas, independem de autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento do MEC.

Internacionalização. Para os especialistas em MBA, obter uma certificação é uma forma de tornar o curso conhecido em outros países, o que facilita o intercâmbio dos alunos entre essas instituições. Além disso, evita que o estudante fique fora do País por dois anos e acabe “desatualizado” do mercado. “É uma garantia de qualidade que facilita a comunicação com escolas ao redor do mundo, todas com o mesmo nível de exigência”, afirma VanDyck Silveira, presidente do Grupo Ibmec – o Ibmec do Rio de Janeiro tem a AMBA.

A importância de ter no currículo um MBA com acreditação internacional também se reflete no mercado de trabalho – especialmente nas empresas multinacionais. “A certificação é reconhecida com clareza pelas empresas”, explica James Wright, coordenador do MBA executivo internacional da Fundação Instituto de Administração (FIA). A instituição tem MBAs acreditados pela AMBA. “O empregador tem a garantia de que o profissional conhece conceitos de nível internacional.”

Facilidades. Os alunos também acreditam que estudar em uma instituição com certificação internacional pode trazer diversos benefícios. “A certificação aumenta a autoestima do aluno e ajuda nos processos seletivos”, afirma César Augusto de Oliveira, de 45 anos, aluno do MBA executivo do Insper.

Arthur Wong, de 31 anos, aluno do International MBA da FIA, é prova disso. “Antes mesmo de concluir meu curso fui procurado por três empresas interessadas no meu currículo”, lembra ele, que foi promovido depois que acabou o MBA.

Principais tipos de acreditação

Association of MBAs (AMBA)

A certificação existe desde o início dos anos 70. Hoje, 168 escolas em 72 países possuem a acreditação, tida como um dos níveis de mais alto padrão que um MBA pode ter. São levados em conta critérios muito rigorosos de avaliação – como a experiência profissional dos estudantes, por exemplo.

Association to Advance Collegiate Schools of Business (AACSB)

A associação foi fundada em 1916 como um espaço onde as escolas de negócios podiam debater questões sobre educação empresarial. Hoje, a acreditação é usada para avaliar a missão de uma instituição dessa área – 620 são membros da AACSB, em 38 países.

EQUIS (EFMD)

A EFMD é uma organização internacional sediada em Bruxelas, na Bélgica. O objetivo da acreditação Equis, oferecida pela instituição ligada à EFMD, é elevar o padrão de gestão da educação em todo o mundo. Por isso, não foca só nos MBAs, mas em programas de instituições de educação básica até doutorado. Hoje, 130 têm Equis.

Fonte: @estadao

Got anything to say? Go ahead and leave a comment!

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Newsletter

E-mail:

Inscrever
Desinscrever

Publicidade